13 de set de 2008

AMOR

simples e suave coisa
SUAVE COISA NENHUMA!

8 de set de 2008

campo de centeio




"Fico imaginando todas aquelas criancinhas brincando e jogando neste grande campo de centeio e tudo mais. Milhares de crianças e não há ninguém por perto - ninguém grande, quero dizer - exceto eu. E estou de pé na beira de algum penhasco maluco. O que eu tenho de fazer, eu tenho que apanhar todo mundo se começarem a correr sem olhar e sem saber para onde estão indo, eu tenho que sair de algum lugar e apanhá-los. É o que eu faria o dia inteiro, eu seria apenas o apanhador no campo de centeio e tudo. Sei que é maluquice, mas é a única coisa que eu queria fazer." ( "Holden Caufield" em "O Apanhador no Campo de Centeio', de J. D. Salinger)

5 de set de 2008

me vejo cada vez mais pra dentro, talvez esse seja o modo de sair. entrar até o fundo.
eduardo galeano já dizia: "o corpo é uma festa". o meu é preso em movimentos calculados. dança até o final da festa, mas de dia ele só grita mudo. no meu jardim hoje choveu demais. as flores estão um pouco mortas.
talvez seja pra voltarem mais bonitas, mas essa parte da morte é sempre muito triste.

escrevo cartas e elas parecem um pouco mais reais. me sinto um pouco mais perto. acho estou sempre perto, de não sei o quê. mas o longe é a minha casa.
e o meu medo.