5 de abr de 2017

para lembrar nos dias em que não acredito mais em mim.

"Tuane, como vai? Espero que bem. :)
Você publicou recentemente uma fotografia muito bonita com essa legenda:
"As montanhas também dançam, lentamente, a dança do desintegrar".


O desintegrar tem algo haver com a Era de Aquário? A legenda está relacionada à voz do silêncio? Você teve algum insight ou intuição em relação a isso? As plantas de poder te mostraram algo?
Desculpe os questionamentos aleatórios, é que venho tendo sentimentos estranhos que não sei bem se são sentimentos ou avisos do meu Eu Superior. Além das muitas "coincidências" em relação a isso... A desintegração na Terra.  Em 2012, tive a experiência do meu despertar espiritual. De lá para cá, a minha vida mudou completamente. Ainda não tive a experiência com a Ayahuasca, mas sinto que terei em breve. Não sei quando, nem onde, nem como, nem porque, mas algo me diz que essa experiência está próxima.

As suas fotos me remetem à comunicação com outros mundos e outras dimensões. Acredito que tens a sensibilidade da comunicação mística e por isso estou escrevendo esses devaneios para ti. Acredito que compreenderás.

Um pouco da minha energia está aqui. Canalizar essa energia em forma de palavras me fez bem. Gratidão.
Abraço,"


Hello from Belgium,
Just a short mail to tell you how much I like your photographic magic little world ( especially the last ones ) !
Thank you to share the so beautiful pictures ..."



"Oi tuane! Queria dizer que virei sua fã master :) vi suas fotos na Plana, e comprei algumas pra ficarem pertin de mim aqui no trabalho. Trabalho mto mais feliz com essas lembranças de que somos divinos, e que por mais que venho ao escritório todo dia, a natureza vai estar sempre me esperando de braços abertos quando eu quiser chegar. Acho que vocês da Riacho são elfos na missão de nos lembrar da conexão com a mãe Gaia. Gratidão pelo seu trabalho e keep up this awesome work! Beijos de luz,"

"love your works since long time...
so now is the time to tell you that you're one of my favorite photographers**
love&color"

Hello! Your photos with multiexposure are astonishing! 
Thank you for inspiration.
xx"


"Hi there, I just saw all your photos and your amazing work and I think it is just amazing. If I'd had to describe the words magic and poetry, I probbably would talk about your photos.
Too much magic there.

Greetings from Colombia."


"Olá, Tuane. Tuas fotos emanam a energia dos elementais. Aura bonita!"

"Seu trabalho é maravilhoso, suas fotos são incríveis! Parabéns!"

"Hola Tuane. Vos fotografie son eccellenti. Trovo affascinante il mondo fotografico che hai creato.
piacere di conoscerti"


"Suas fotos são de uma sensibilidade amável!
Saudações!"


"encontrar tus fotos fué como encontrar un diamante
gracias!" 


"Tuane! Your shots are fantastic!!! thank you a lot !!) I got a great pleasure when watching your photostream. there are so much atmosphere.."

"Olá senhorita Tuane!
Suas fotografias são belíssimas!
Estilo primoroso. Trabalho magnífico.
Parabéns!
Beijos!" 


"Abri a janela mas as palavras sumiram, seu olhar sobre as coisas é lindo.

Maçãs no escuro...?"

"
just watched a film you were in just now. so i was looking through your photos. so beautiful, i love the atmosphere and colours you capture. saeko , Japan"

"
incrível.
me tornei um fã em instantes.
dificil acontecer assim.

parabéns!"

11 de jan de 2016

Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte disso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.

[Fernando Pessoa]

8 de out de 2015

Partículas.



















Paraty, setembro de 2015.

19 de mai de 2015

Anotações sobre a memória.

Temos que manter nossas “memórias de medo”, mas temos que inibir sua evocação constantemente, para que não ocorra a síndrome de stress pós-traumático.

Não há como apagar memórias facilmente. O cérebro faz isso sozinho, involuntariamente. Para que possamos continuar vivendo, o cérebro costuma apagar memórias traumáticas.

Existem as memórias de curtíssima duração (milisegundos), as de curta duração (segundos, minutos ou horas), as de longa duração (horas, dias, anos) e as remotas (que podem durar por décadas ou por toda uma vida).

A função faz o órgão: a melhor maneira de conservar a memória é exercitá-la, e o melhor método é a leitura, pois envolve muita memória visual. Além disso, lendo se percorre praticamente todas as memórias (não há nenhuma atividade tão intensa como essa).

A memória se adquire pela experiência.
Não se conhece o limite da memória humana, mas é muito maior do que qualquer coisa que possamos conhecer. Memória é aquilo que se aprende e fica.

A gravidez tem uma relação muito forte com a memória, pois nesse período se evocam diversos tipos de memórias relacionadas a isso (por exemplo, experiências de gravidez anteriores).

Os humanos sempre aprendem as coisas “mais ou menos”. Algumas coisas temos que aprender diversas vezes para conseguirmos compreender.

A ditadura foi algo que criou memórias coletivas, fazendo as pessoas acreditarem coletivamente em algumas coisas que não existiram.

Cada vez mais o mundo torna-se mediado e nosso contato direto com os fatos é cada vez menor.

Jorge Luis Borges foi o escritor que mais falou sobre a memória (mais do que Marcel Proust, que ficou conhecido por isso).

Nosso cérebro cria muitas memórias falsas.

Sonhos são memórias transfiguradas e reformuladas, mas ainda não existe uma ideia muito clara sobre isso. Quando a qualidade do sono é ruim, afeta as memórias recentes (do dia anterior, por exemplo).

Há algumas substâncias no cérebro que produzem amnésia para esquecermos de experiências traumáticas (como a dor do parto, por exemplo).

Reprodução neuronal nada tem a ver com a memória.


A falta de exercícios físicos provoca consideráveis transtornos cognitivos. O que se recomenda é fazer exercícios durante três vezes por semana, pois aumenta a circulação de todo o corpo e, principalmente, a circulação cerebral, melhorando a função cognitiva.





*Anotações da palestra "O que é e para que serve a memória", de Ivan Izquierdo, em 14 de maio de 2015.

13 de mai de 2015

Anotações sobre alguns dias de 2009.



Manhã de 17 de junho.
Todas as cidades são só pontinhos de luz. As nuvens de poluição são bonitas vista de cima. Tudo depende do ângulo. Eu acredito nisso.
Queria ter fotografado. Mas tem coisas que se fotografam pra dentro. A minha alma se encheu de pontinhos de luz.
Tomara que dê pra ver da janela.

18 de junho.
Ver olhos novos é sempre incrível.

21 de junho.
Por enquanto, essa ainda é a melhor cidade do mundo. Mas ela tem os dias contados pra mim. Talvez seja isso que faça dela a melhor cidade do mundo:
não pertenço a esse lugar, estou aqui só de passagem.

Me despeço aos poucos.