10 de jan de 2010

Sobre o abandono.


Ou sobre o tempo. Ou sobre a vida. Ou sobre a morte.
Sobre lembranças ou sobre o que fomos. Ou sobre o que somos.
Sobre lugares no mundo que habitam um pouco de nós.
Sobre medos. Ou sobre alegrias.
Toda alegria só é alegria porque transpassou o medo. Fez dele um aliado.
E tudo o que existe em nós é porque um dia foi revisitado pela memória.

Sobre o abandono de nós mesmos.

Nenhum comentário: