28 de nov de 2013

Diários

Amar magoa. É como se oferecer para ser esfolada, e sabendo que a qualquer momento a outra pessoa pode simplesmente ir embora levando a sua pele. [...]

O moderno deslocamento da sensibilidade decorre do fato de que ainda experimentamos o espaço perceptivamente, mas não acreditamos mais que a nossa percepção – nossa experiência – seja verdadeira. [...]

Para escrever, é preciso permitir-se ser a pessoa que você não quer ser (entre todas as pessoas que você é). [...]

Quero ser capaz de ficar sozinha, achar isso revitalizante – e não apenas uma espera. [...]

O olhar é uma arma. Tenho medo (vergonha?) de usar minhas armas. [...]


O olhar – mais íntimo (envolvente) do que o abraço sexual, porque nele não há espaço para distanciamento; o gesto é compacto demais. [...]





Dos diários de Susan Sontag.